Caso Gleisi reacende discussão sobre partidarização do judiciário

Em Brasília, cada vez mais se intensifica o debate sobre a politização do judiciário. Alguns parlamentares chegam a acusas procuradores e juízes de tomarem decisões com base em paixões partidárias. Outros defendem o judiciário e afirmam que a Operação Lava Jato tem sido fundamental no combate a corrupção.

Pois é… Mas agora a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal(STF) absolveu a Senadora Gleisi Hoffmann e o marido dela, ex-ministro Paulo Bernardo, da acusação de corrupção e lavagem de dinheiro – por falta de provas. E isso dá munição a a quem acusa o judiciário de não ser imparcial.

Para o cidadão comum fica a pergunta: a lei é mesmo para todos, ou o judiciário no Brasil se transformou num instrumento político.