Investigações da Policia Federal chegam a Jacques Wagner

A semana começou bem, com a criação do ministério extraordinário da segurança Pública. Raul Jungmann é quem vai comandar a nova pasta. E o general Joaquim Silva e Luna, é quem assume a Defesa. Jungmann chegou mostrando a que veio. Demitiu o amigo de Temer e Chefe da Policia federal Fernando Segóvia.

Em Salvador, a policia federal cumpriu mandado de busca no apartamento do ex-governador da Bahia, Jaques Wagner. Inicialmente, os investigadores queriam a condução coercitiva de Wagner, mas a medida está suspensa desde dezembro por decisão do ministro do Supremo Gilmar Mendes.

A Operação cartão vermelho suspeita que o petista tenha lavado 82 milhões de reais desviados das obras do estádio Arena Fonte Nova durante os preparativos para a copa em 2014.

Como Wagner é candidato a candidato, caso o Lula seja excluído da corrida presidencial, o PT diz que é perseguição política do judiciário. O que o Partido não explica são os 15 relógios de luxo encontrados no apartamento em Salvador.

Delatores da Odebrecht afirmam que Wagner costumava pedir esses mimos às empreiteiras para facilitar negócios. Questionado sobre um relógio de 20 mil reais, recebido como presente de aniversário da Odebrecht, Jaques Wagner respondeu: eu ganhei e nunca usei.

Lembra aquela frase do Bill Clinton sobre a maconha: fumei, mas não traguei.

crédito: Imagens da web