O que pode estar por trás da intervenção militar no Rio

E o Temer, heim? Depois de ser escrachado na Sapucaí como vampiro, saiu com essa: Intervenção Militar no Rio. Dizem que foi por vingança.

O Rio da bandidagem bem que precisa de uma chinelada. Mas aí é que está o problema: o governo Temer não tem moral pra isso. O próprio presidente e seus principais ministros são investigados pela polícia federal. E a maioria dos parlamentares que no Congresso vai referendar a intervenção, também “tem culpa no cartório”.

Chegamos ao ponto de descrença absoluta nas Instituições. O crime organizado tomou conta – e não foi só na favela. Nos gabinetes refrigerados da capital federal também tem muito bandido.

Com a derrota da Reforma da Previdência, para sobreviver Temer precisa se fortalecer e reforçar seus seus aliados. Se ficar desempregado em 2019, perde o foro privilegiado. Precavido, o presidente vampiro da Sapucaí precisa de um aliado no poder em 2019 quando entregar a faixa presidencial para ajudá-lo a se safar dos processos judiciais. Para isto já está negociando apoios a candidatos.

E lá vem pirotecnia eleitoreira… Soldados, blindados, helicópteros! E muito dinheiro público, é claro. Com esse apoio logístico, quem precisa de horário político na televisão?
Mas não se engane. Temer e seus aliados estão pouco se lixando com o que acontece no Rio. O que eles querem é a histeria da mídia para jogar areia nos olhos do eleitor.

Crédito: foto da web