Palloci é liberado para cumprir prisão domiciliar

Por maioria, desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), de Porto Alegre, decidiram nesta quarta-feira (28) que o ex-ministro Antonio Palocci deverá cumprir pena em regime semiaberto domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica e terá a duração da punição reduzida.

Palocci está preso preventivamente em Curitiba desde setembro de 2016. Em junho do ano passado, ele foi condenado em primeira instância a 12 anos, 2 meses e 20 dias pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Pela nova decisão Palloci terá a pena reduzida para nove anos e 10 dias.

Ele foi condenado por favorecer a Odebrecht em contratos para a construção de navios-sonda para a Petrobras. Na denúncia o Ministério Público Federal, acusou o ex-ministro de ter repassado propinas para o PT, inclusive em contas no exterior.

Palloci foi preso pelo Operação Lava jato em 2016. Além dele, a investigação envolveu outros 13 réus, entre eles o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, os marqueteiros João Santana e Monica Moura e executivos da Odebrecht, entre eles o então presidente, Marcelo Odebrecht.

A decisão levou em consideração a delação premiada celebrada pelo réu com a Polícia Federal e homologada pela Justiça, na qual apresentou informações sobre o caso e esquemas de propina com a Petrobras. Na delação, Pallocci afirmou que os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff tinham conhecimento de corrupção na empresa.

E você, concorda com esta decisão?

Com informações da Agência Brasil