Após críticas de Bolsonaro – Joaquim Levy pede demissão do BNDES

Depois de demitir três generais, a semana começa com o pedido de demissão do presidente do BNDES, Joaquin Levy.

A ameaça pública de exoneração foi feita no sábado, em frente ao Palácio da Alvorada, quando o Presidente Jair Bolsonaro afirmou para um grupo de jornalistas: “Eu estou por aqui com Levy {Fazendo o gesto de degola}. Falei para ele demitir esse cara {Marcos Barbosa Lima} na segunda-feira ou eu demito você, sem passar pelo Paulo Guedes”.

Barbosa Pinto foi assessor do BNDES no governo do PT e foi nomeado por Levy para o cargo de diretor de Mercado de Capitais do BNDES. Joaquim Levy foi nomeado por pelo ministro da Economia Paulo Guedes para a Presidência do BNDES. Levy foi ministro da Fazenda de Dilma Rousseff (PT).

Após a ameaça pública, no domingo, Joaquim Levy pediu demissão e, Marcos Barbosa Lima, que exerceu cargos na área econômica nos governos petistas, também renunciou.

Alta rotatividade

Na semana passada, foram demitidos pelo presidente Jair Bolsonaro: o presidente da Funai, general Franklimberg Ribeiro de Freitas, por considerá-lo muito amistoso com os indígenas; o presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paula Cunha, por tirar fotos com parlamentares de esquerda  durante uma visita à Câmara, e o secretário de Governo, general Santos Cruz, por discordar de algumas linhas da comunicação governamental, entre outros desacertos.

Segundo informações do Portal poder 360, A Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) na Câmara quer convocar Joaquim Levy para dar explicações sobre a chamada “caixa-preta” dos empréstimos internacionais da instituição.

Vale destacar que abrir a “caixa-preta” do BNDES foi uma das promessas de campanha do presidente Jair Bolsonaro. O Ministro da Economia, Paulo Guedes, esteve reunido nesta manha com o presidente, mas ainda não foi anunciado o nome do substituto de Joaquim Levy.

Nesta 2ª feira (17/6), o Podemos apresentará um requerimento convocando Levy para explicar as movimentações financeiras do banco de 2003 a 2015 –nos governos dos petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

O líder do Podemos na Casa, José Nelto (GO), declarou que este é o momento para que o ex-presidente do BNDES explique por que ele não abriu a “caixa-preta” do banco. Os parlamentares pedem detalhamento dos empréstimos internacionais para países da América, da África e para a JBS, durante o governo petistas. O deputado organiza o requerimento para ouvir Levy junto com congressistas do Cidadania e do PSL.

Com as agências