Santa Marta

Salve Santa Marta, irmã de Maria e de Lázaro

Protetora das donas-de-casa, das cozinheiras, das lavadeiras

e das irmãs de caridade

Vela por mim, tão voltada estou para as coisas terrenas,

Eu que como tu, criticada seria por Nosso Senhor:

“Vera, Vera, te preocupas e te agitas por muitas coisas:

Casa, dinheiro, trabalho e esqueces de olhar para dentro de ti!

Mas é muito trabalho Senhor!

 Limpar oque está dentro e o que esta fora

Produzir, criar, lutar, matar mil dragões por dia,

Não posso, como a folgada da Maria, sentar languidamente,

 ouvindo o Senhor.

Como te entendo operosa Marta, minha mente também não para,

esta sempre ocupada em mil tarefas para executar

Como uma máquina. Não posso falhar!

Ave Santa Marta! Tu que foste injustamente reprendida por Jesus!

Como o teu, meu trabalho “quase” não aparece:

Ralo, corro, falo, esbarro, grito

e ninguém me ouve – estou só –

nesta jornada de incompreensões.

Tenho que fazer tudo sozinha, como Marta.

Também sou criticada minha Santa

por não me permitir nenhum lazer.

Salve poderosa santa Marta!

Tua fé ressuscitou teu irmão Lázaro.

A minha, mal me dá forças, para andar neste mundo de trevas

tão esquecido dos ensinamentos de Jesus.

Salve Santa Marta!

Com o sinal da Cruz e algumas gotas de água benta

Derrotaste o dragão de Tarascon

Arrastando-o amarrado a teu cinto.

Por esta força te peço o poder

                de derrotar meus dragões

O dragão do medo, que me tolhe os passos

     Da ira que me rouba a prudência

     Da inveja que me torna feia, desvalorizando oque tenho,

e querendo o que não é meu.

O dragão da maldade, minha santa, que muitas vezes me habita

Da vingança, de querer atingir, quem me feriu.

Do ódio frente à injustiça e a opressão

São incontáveis dragões Santa Marta.

para vencê-los, todos,

Empresta-me tua fé, laboriosa santa!

A minha, há muito perdi!

E rios de água benta.

Aí talvez eu pare e brigar lá fora

E volte a encontrar a paz dentro de mim.